Social Icons

30 de julho de 2011

O bem que eu quero, não faço. O mal que não quero...



“Perdoa-nos oh Deus, somos muitos e muitos, semeando mais o mal do que o bem..”

“Pois não faço o bem que eu quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço.” Rm 7:19

Luiza sabia do amor de Deus. Ela entendia que o Seu Filho havia morrido numa cruz por amor, entendia que devemos amar os nossos irmãos e até aqueles que não conhecemos por isso. Ela entendia bem que aquela menina que humilhava a todos na escola, também precisava desse amor. Então porque Luiza, no dia em que houve uma discussão na sala de aula, caiu no tapa com a tal menina? A mesma que ela sabia que praticava tais coisas, por não conhecer o amor do Pai?

João quer mudar. Conheceu a Deus e se apaixonou por Ele, todas as áreas de sua vida estão sendo modificadas por Jesus, mas ele ainda não consegue se livrar do vício da pornografia. É mais forte do que ele, sua mão parece ir sozinha ao mouse e redirecionar para aquele tal site sujo. Ele chora. Ele luta. Ele quer mudar.


Marco sabe que se entregar as paixões sexuais é pecado. Sabe dos propósitos de Deus para uma vida pura, sabe que o que o Pai quer, é que desfrute de bons momentos ao lado de sua esposa, no casamento. Mas quando está sozinho com sua namorada, parece esquecer tudo e focar sua mente só no prazer momentâneo. Pode usar a desculpa de que só está nos “beijos” e nada além que isso, mas no coração sabe que o que faz é errado.. tenta melhorar, mas não consegue. É mais forte. Mais forte.

Vemos nessas três situações o que o pecado faz, de leve, com as pessoas. Ele confunde, contamina, desilude, entristece, causa angústia. E podemos ver muito bem, que ele nos ataca ainda mais quando queremos fazer o bem. Ele parece ser mais forte, ele milita contra o Espírito. E muitas vezes vence. Por estar mais forte dentro de nós; e por ele vencer, tantas vezes desanimamos, choramos, nos colocamos como os piores seres humanos... e somos. Mas vai adiantar algo ficar jogado no chão chorando e... não fazer nada? Não mudar a situação que se encontra? Em certos momentos esse mal dentro de nós vai nos fazer praticar coisas que nunca imaginaríamos praticar, mas o que entra aí é novamente a história do alimento do bem e alimento do mal. Do que eu tenho me alimentado? Tenho fortalecido o bem, ou enchido mais o pratinho do mal? O que fazer então, qual a saída, quando nos vemos em uma situação que queremos sair, mas não temos força? Quando a única coisa que nos vem ao coração é a vontade de chorar. Mudar? Puxa, que difícil! Mas retornemos ao que Paulo diz “Porque quando perco toda minha força, então tenho a força de Cristo em mim” (2Co 12:10) Qual o caminho a se trilhar então, já que fraco, eu não consigo sequer levantar? É reconhecer o 2 Coríntios 12:10 e transformar isso em realidade em sua vida. É buscar aquele que nos purifica de todo pecado, que nos justifica e procurarmos ser puros de coração, porque...
“Como sou infeliz! Quem me livrará deste corpo que me leva para a morte? Que Deus seja louvado, pois Ele fará isso por meio do nosso Senhor Jesus Cristo!” Rm 7:24-25

"Agora já não existe nenhuma condenação para as pessoas que estão unidas com Cristo Jesus. Pois a lei do Espírito de Deus, que nos trouxe vida por estarmos unidos com Cristo Jesus, livrou você do pecado e da morte" Rm 8:1-2





Twitter: @arlenekanaki


Um comentário: